Repostas Rápidas

SERVIÇO DE RESPOSTAS RÁPIDAS DA INTERCRIAR
Você têm diversas  dúvidas sobre a gestão da sua empresa médica?

Quer saber algo sobre administração, tributação, finanças, gestão de pessoal, relações societárias e marketing e não tem a quem perguntar?
A solução imediata para os seus problemas é o serviço de respostas rápidas da Intercriar.

O sistema funciona da seguinte forma:

Você manda as suas perguntas por e-mail para a Intercriar e em menos de 48 horas elas são respondidas pelos nossos consultores.

O sistema é rápido, eficiente, prático e principalmente barato.

Para quem não quer usar o serviço de Consultoria Virtual, a melhor opção para a resoluções dos seus problemas é utilizar os serviços de respostas rápidas.

O sistema de respostas rápidas é composto de lotes de perguntas, Veja os valores abaixo:

L 01 – 03 PERGUNTAS = R$ 228,00
L 02 – 06 PERGUNTAS = R$ 360,00
L 03 – 10 PERGUNTAS = R$ 420,00
L 04 – PERGUNTA ÚNICA – 96,00
Adquira esse serviço agora: COMPRE AQUI!

Mande as suas perguntas para o nosso e-mail:
OBS. Serviços exclusivos para pagamentos com Boleto e Transferências Bancárias. Para receber mais rapidamente as suas respostas, faça a opção por Transferência Bancária.
Veja aqui algumas das perguntas que já respondemos para os nossos clientes:
“Olá! Sou médico há 18 anos e tenho como sócia numa clínica, minha esposa que é administradora. Segundo meu contador vai ser preciso rever o negócio para poder adequá-lo a nova tributação da receita federal e ao código comercial. Como é eu faço isso? Posso manter minha esposa como sócia da empresa? Qual é o melhor regime empresarial para isso”
J.T.D. S., Ijuí – RS
“Qual é o custo para se montar um consultório de pediatria em Curitiba – PR, com todos os equipamentos? O consultório tem 15 metros quadrados?”
M.A.C, Curitiba – PR
“Sou sócio de uma clínica médica (somos 05 sócios). Dois dos sócios querem abrir uma filial numa outra cidade e eu e mais os outros 02 sócios, não queremos participar dessa nova empresa. Como fazer, para que eles não utilizem o mesmo nome da nossa clínica nessa nova filiar?”
D. K. S, Toledo –PR
“Quais são os documentos necessários para credenciar a nossa clínica médica como prestadora de serviço para a mineradora Vale? Como se faz esse documento ou carta de apresentação?”.
J. R. S. Divinópolis, MG
“Como eu faço para saber o custo do turno de cada consultório da minha clínica.”
M. A. S. A. Juazeiro – BA
“Estamos contratando novos médicos como parceiros da nossa clínica. Muitos desses profissionais não querem que deduzamos dos seus rendimentos os impostos devido aos governos e querem ficar com 70% do valor bruto das consultas. Restando para a clínica 30% do valor bruto. Queremos saber: o imposto é cobrado da parte do médico ou da parte da clínica? Os 30% da clínica dá para pagar as despesas da empresa e ainda obter algum lucro? Como eu faço para convencer esses médicos sobre esses tipos de tributação e responsabilidades? Existe outra forma de remunerar esses profissionais, de maneira que a clínica tenha algum lucro?”
L. H. C. e T. C .C. A. – Brasília –DF
“A nossa empresa tem 08 sócios e agora estamos querendo comprar um tomógrafo que custa quase 800 mil reais. Apenas 05 dos sócios querem participar desses investimentos. Eu então pergunto, esse equipamento será comprado em nome da empresa ou somente desses novos sócios? Será preciso criar um novo CNPJ para esse investimento e serviço? Podemos utilizar a atual empresa como garantia desse investimento? Como eu faço para saber se vale apena comprar esse equipamento em nome da atual empresa? Como vamos incorporar o ativo desse investimento na atual sociedade?
P. F. S. Salvado – BA
“Como faço uma planilha de custos para o meu consultório médico (Ginecologia).”
E. B. C S. Sinop – MT
“Uma colega quer dividir o meu consultório médico. Só que ela quer somente 03 turnos por semana. Como eu faço para saber o valor que eu vou cobrar dela? Se os clientes dela pedirem notas fiscais, eu devo dá-las? Como ficarão os impostos desses serviços (os dela)? É melhor eu cobrar um percentual sobre os atendimentos da minha amiga ou cobrar um custo fixo por turno?
L. S. G. – Natal – RN
“Como eu faço, para poder deixar de atender os planos de saúde? A minha idéia é em 03 anos não ter mais esses ‘parceiros’, só que hoje eles representam mais de 65% das nossas receitas financeiras. Como resolver isso?”
E. D. M – Vitória da Conquista – BA

Precificação De Serviços Médicos

Estabelecer preços em serviços médicos sempre foi uma tarefa árdua, complexa e dúbia. Determinar os elementos do composto de custo, inserir os impostos incidentes, bem como as taxas complementares e por fim auferir lucro sempre foi uma operação indigesta para muitos profissionais de medicina. Por conta disto, a maioria das empresas médicas preferem trabalhar com tabelas de referências de preços e poucas são as que sabem apurar resultados financeiros com precisão.

Saber quanto custa um procedimento médico, com todos os seus elementos de custos contabilizados é privilégio de poucas organizações médicas. A maioria dos consultórios e clínicas médicas contabiliza os seus custos totais e os deduzem das suas receitas e desta forma encontram os seus resultados financeiros.

Somente as grandes empresas médicas possuem departamentos de controladoria e por conta disto detém conhecimento sobre as precificações dos seus serviços médicos.

Em clínicas pequenas e consultórios é muito difícil se precificar os seus serviços médicos simplesmente por um motivo: falta de conhecimentos específicos.

Muitos profissionais de medicina não dão muita importância a estratificação dos seus custos e preferem arredondar seus custos ou então ‘deduzirem’ que assim os são de determinada forma empírica.

Saber quanto custo uma aplicação de gel num exame de ultra-sonografia ou então o custo do soro numa assepsia de procedimentos oftalmológicos, é privilégio de poucas empresas médicas.

Por conta disto, muitos profissionais reclamam que trabalham com loucos, têm mais de cinco empregos e mesmo assim não tem resultados financeiros à altura dos seus esforços.

Precificar os serviços médicos é tão importante quanto realizar essa mesma operação em outros segmentos de mercado.

Nenhuma panificadora que se preze vai atuar no seu mercado sem saber realmente quanto custa cada pãozinho produzido. Nenhum empreiteiro vai apresentar um orçamento de uma obra, sem quantizar o preço do metro quadrado produzido. Nenhum costureiro vai dar o preço de uma confecção de uma camisa, sem saber realmente quanto custa cada peça.

Ora! então porque não se faz a mesma coisa em empresas médicas?

Responder essa pergunta tem sido a preocupação de vários profissionais de gestão de serviços médicos. Vamos a um exemplo prático. Vamos supor os seguintes elementos:

Despesas mensais: R$ 8.000,00
Quantidade de atendimento: 660 (30 ao dia).

A grosso modo pode-se dizer que o custo unitário do atendimento é de R$ 12,12. Todavia, esse cálculo não está correto, uma vez que se deve primeiro contabilizar os custos fixos e a partir destes descobri o custo unitário do atendimento. Vamos supor que dos R$ 8.000,00, os custos fixos estão assim distribuídos:

Custos Fixos: 37%
Custos diretos (materiais) 39%
Custos variáveis (impostos e taxas): 13%
Outros custos: 11%

Para saber o custo real de cada atendimento devem-se abater os custos diretos do custo total. Desta forma teremos (R$ 8.000,00 – R$ 3.120,00 = R$ 4.880,00). Deste composto sabemos que o custo real do atendimento é R$ 7,40.

Isso se justifica, pois o custo com material em empresa médica tem alta variância dentro do grande leque de procedimentos. Muitas vezes, um material usado em gotas num determinado procedimento é mais caro do que um outro utilizado em litros num outro procedimento. É por causa disto que não se pode sumarizar todos os custos e dividi-los pela quantidade total de atendimento.

O correto é descobrir o valor unitário de cada material utilizado em cada procedimento e só então quantizá-lo corretamente.

Vamos supor que o valor do material mais utilização de equipamentos num exame de ultra-sonografia seja de R$ 14,70. Sabendo que o preço do atendimento é R$ 7,40, sabe-se então que o custo do exame é de R$ 22.10. Se o convênio paga R$ 34,00 por esse procedimento o calculo precisa ser mais uma vez refeito, já que os impostos são incidentes sobre o preço da nota fiscal e não sobre percentual do composto de custos.

Nesse caso os valores ficarão assim:

Preço do Procedimento: R$ 34,00
Impostos incidentes: 13% = 4,42
Custos do material: R$ 14,70
Custos fixos/outro: R$ 5,81
Soma: R$ 24,93 – Custo do procedimento. (antes esse custo era R$ 22,10)!
Resultado: R$ 9,07

Note que se não se souber realmente se quantizar os custos e depois precificá-los, a empresa pode estar operando com prejuízos. É, portanto fundamental se saber fazer esses cálculos para só então se dizer se um determinado procedimento médico dá lucros ou prejuízos.

Neste caso em particular, somar tudo e dividir por todos, por certo é errado.